Joaquín Torres Garcia

(1874 - 1949)

Joaquín Torres García desenvolveu a sua formação e boa parte da sua produção na Europa, com uma curta passagem pelos Estados Unidos. Na Espanha, sua arte mediterrânea foi tomada como modelo estético pelo Noucentisme, movimento político e cultural criado para promover a identidade e autonomia catalã. Em Nova Iorque (1920-22), como forma de garantir o sustento da família, tentou buscar escala industrial para seus juguetes transformables compostos por peças intercambiáveis que permitiam à criança desmontá-lo e voltar a montá-lo da maneira que quisesse. Depois de viver no norte da Itália e sul da França, em meados de 1926 Torres García estabelece-se em Paris com a mulher e os quatro filhos. É quando cria o grupo Cercle et Carré, que reúne mais de 80 artistas de tendência construtiva e publica uma revista com o mesmo nome. Realiza muitas exposições coletivas e individuais em Paris, Barcelona e Amsterdam junto com artistas como Mondrian, Picasso, Van Doesburg, Vantongerloo, Miró, Barradas e muitos outros. A próxima parada foi Madri (1932-33), onde escreveu Arte Constructiva. Em abril de 1934, aos 60 anos de idade e após 40 anos de ausência, Torres García retorna a Montevidéu com o propósito de fundar um importante movimento de arte construtiva que, enraizado numa profunda tradição universal, fosse também a expressão de uma arte própria, não apenas para o Uruguai, mas para toda a América. Cria a Associação de Arte Construtiva e retoma a publicação da revista Cercle et Carré, chamando-a Círculo y Cuadrado. Realiza muitas exposições coletivas e participa do Salon des Surindépendants de 1936 com excelentes críticas. Pinta a série Hombres Héroes y Monstruos e profere mais de 500 conferências sobre arte e estética. En 1942, o artista transforma a AAC no Ateliê Torres García, um espaço de produção coletiva, formado por jovens que assumem fervorosamente as ideias do mestre. O artista morre em 8 de agosto de 1949, aos 75 anos, e deixa como legado uma escola pictórica e americana com identidade própria – La escuela Del Sur -, que permanece como um dos mais consistentes movimentos artísticos do século XX.

5f5d9113-24c7-46b8-8176-645dc606c70c.jpg